Semana passada escrevi sobre a Escola Espanhola de Equitação, em Viena, famosa há muitos e muitos anos – desde o século XVI, exatamente – por seus branquíssimos Lipizzaners. A escola é espanhola e os seus cavalos, de origem andaluza – por que não, então, contar sobre outro local, talvez tão famoso quanto, e que fica bem na origem de tudo, em plena Andaluzia?

A Real Escuela Andaluza del Arte Ecuestre foi fundada “recentemente”, em 1973, em Jerez de La Frontera. Lá estão localizados a sua sede – o magnífico Palacio Duque de Abrantes, o Museo del Arte Ecuestre e o picadeiro da escola, onde se realizam as apresentações dos cavalos andaluzes.

Um dos ginetes de destaque da Real Escuela é Rafael Soto, medalhista olímpico em Atenas. Em 2013, quando fui à Espanha participar de uma clínica de adestramento na Andaluzia, tive a oportunidade de ter aulas com ele, que me apresentou as instalações da escola e ao seu Invasor, com quem conquistou a medalha de prata.

Atualmente podemos assistir ao espetáculo Como Bailan Los Caballos Andaluces, musicado e com cavaleiros vestidos de acordo com a moda do século XVIII que executam movimentos do adestramento clássico e doma vaquera – típica espanhola.

A viagem e o local são lindos e o programa, imperdível!

www.realescuela.org/es


 

Last week I wrote about the Spanish Riding School, in Wien, famous for many years – since the 16th century, more precisely – for its bright white Lipizzaners. The school is Spanish and its horses, of Andalusian origin – so why not to tell about another place, perhaps as famous as, that is located in the origin of all of this, right in Andalusia?

The Real Escuela Andaluza del Arte has been “recently” founded, in 1973, in Jerez de La Frontera. There are located the magnificent Palacio Duque de Abrantes, the Museo del Arte Ecuestre and the school’s arena, where the Andalusian’s performances take place.

One of the most distinctive riders of the Real Escuela is Rafael Soto, Olympic medallist in Athens. In 2013, when I went to Spain for a dressage clinic in Andalusia, I’ve had the opportunity of having classes with him, who presented me to the school’s facilities and to his Invasor, with whom he has conquered the silver medal.

Today we can watch the show Como Bailan Los Caballos Andaluces, with riders wearing 18th century garments that execute movements both from classical dressage and doma vaquera.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *